Leia

 

 

 

 

 

- Outro lado das histórias.

 

      Ainda gosto de livrarias e, quando visito uma, vou folheando os livros.  Numa dessas vezes, peguei um exemplar sobre "Juventude Transviada", filme de Nicholas Ray que projetou James Dean, ator morto precocemente num desastre de automóvel cuja figura ficou no imaginário de várias gerações como símbolo da rebeldia juvenil. 

Quando vi o filme, fiquei surpreso: Natalie Wood e Sal Mineo dominam as cenas.  Os dois são as estrelas daquela metáfora sobre rebeldes sem causa, desajustados e angustiados anti-heróis que povoariam a mente da juventude até a explosão na década de 60 com a pílula, o rock e os movimentos estudantis.

Em 1981, Natalie Wood morreu num acidente de barco envolto em mistério.  O corpo da atriz foi encontrado com ferimentos e escoriações. Na época, o marido dela, o ator Robert Wagner, foi considerado suspeito.  No entanto, a Polícia não concluiu que houve assassinato e Wagner ficou livre.

      Sal Mineo - que teria participação notável em outra obra emblemática: Exodus, película de Otto Preminger sobre a criação do Estado de Israel - era solitário e angustiado com sua homossexualidade.  Dizem que desejava ser igual a Pat Boone, o queridinho das meninas bobinhas.  Mas, para ele, só davam papéis de aflitos, assassinos em potencial, enfim, interpretações que provocavam medo até nas meninas espertas.

      Morto aos 37 anos num crime nunca esclarecido, Sal Mineo não virou lenda como James Dean.  Por isso, talvez, seja pouco mencionado nas citações sobre "Juventude Transviada", filme que já não desperta atenção nos jovens contemporâneos.  Afinal, conhecem anti-heróis mais contundentes do que os do filme com Sal Mineo e James Dean de 1955.  Comparados com os rebeldes que vieram depois, Dean, Mineo, Natalie Wood e a turma toda nem rebeldia tinha. No mínimo, uma insatisfação.

      Depois da descoberta sobre Natalie Wood e Sal Mineo (relegados a segundo plano numa obra em que dominam cenas com mais força do que o mítico James Dean) comecei a pesquisar o outro lado das criações artísticas.  "Os Três Mosqueteiros" eram três porque Dartagnan, o quarto e mais famoso ainda não era mosqueteiro no início do romance.   Mas por que "O último dos moicanos"? Era o último indígena dessa tribo sem que houvesse outro para continuar a história? Ouvi dizer que seria um dos livros preferidos de Hitler. Aliás, dizem que aquele corte com cabelo no meio da cabeça não seria de moicanos, mas de outra tribo.  E, se for verdade, por que ficou conhecido como corte moicano?  Parece um fenômeno parecido com o que fez James Dean se destacar mais do que Natalie Wood e Sal Mineo.

 

 

P.S.: O trio de realce no filme teve morte trágica.  Será que “Juventude Transviada” tem algum sortilégio? Uso tal vocábulo porque me desagrada a palavra maldição.