- O dia quando eles foram proibidos.

 

          O governo militar proibiu a participação de homens sem comportamento másculo nos programas de tevê.  O boato era de que o neto de um general estaria diante do espelho imitando gestos do Denner, costureiro rival de Clodovil que participava do júri do “Programa Flávio Cavalcante”.  Por causa disso, também foram vetados Clóvis Bornay, Silvinho(cabeleireiro) e outras pessoas cujo comportamento revelaria sexualidade distinta ao sexo masculino.

          Lembrei a história por causa dessa onda moralista que se abateu sobre o país. Indignados, partidários do presidente pedem o fechamento do Supremo e do Congresso.  Também querem a censura à imprensa que estaria infestada pela “escória esquerdista”.

 Há pessoas contando os dias para os militares voltarem porque, entre tantas outras coisas, vão restabelecer a ordem moral no Brasil.  Uma cidadã chegou a escrever no Face que “militares vão trancar pedófilos nas celas e jogarão as chaves fora.”.  Quer dizer, a Constituição mudará porque serão implantadas prisão perpétua e pena de morte.

          Como a memória é fraca e informação falta, recordo dois episódios da ditadura militar que desmentem esse rigor com pedófilos.  Em Brasília, Ana Lidia, de sete anos, foi estuprada e assassinada.  Entre os suspeitos, havia o filho de um ministro que nunca foi punido e morreria num desastre de carro.  Inclusive, falaram que ele teria forjado a morte, mas o corpo foi exumado e o murmurinho se desfez.  No Espírito Santo, Araceli, também menor de idade, foi seviciada e morta por dois ricaços que nunca foram punidos.  José Louzeiro escreveu um livro sobre o crime e sofreu perseguição dos militares.  Aliás, o ministro da Justiça e civil Armando Falcão proibiu notícias sobre o crime de Brasília protegendo os criminosos e mandou recolher o livro de Louzeiro.

          Essa pretensão de ter os militares de volta é uma bobagem porque os corruptos estão sendo punidos.  Um ex-governador está preso, um ex- deputado poderoso também.  Sem contar um ex-presidente que foi condenado e preso. Quer dizer, os militares estão sendo convocados para fazerem o que está sendo feito pela sociedade civil?!! Além do mais, se o presidente da República já é ruim com Supremo e Congresso funcionando, como seria sem qualquer fiscalização.

Os raivosos acusam comunistas de conspiração contra a moralidade do país mesmo com o comunismo enterrado pela queda do muro de Berlim.  E não pensam o seguinte: se os militares quando governaram puniam de verdade (ao contrário dos civis atuais) por que o responsável pela bomba que explodiu no RioCentro matando um sargento e ferindo um oficial do Exército nunca foi punido?  Ou melhor, jamais foi sequer apontado para que o país soubesse a identidade dele?

          Um golpe militar hoje transformaria o Brasil num país isolado sem apoio internacional.  Além do que, seria uma tutela que não precisamos.  Afinal, não podemos voltar aos tempos quando diziam até o que deveríamos ver.  Um país onde um neto de um general desmunhecando diante do espelho provocava intervenção em programas de tevê. 

        Um golpe militar seria ridículo e tudo o que o país não precisa é se tornar mais ridículo do que já está.