Leia

  Apesar de vocês.

         Zé Rodrix escreveu: “Está todo mundo triste como se fosse quarta-feira de cinza de um carnaval antigo”.  Assim eram as quartas-feiras de cinza do passado distante.  Depois dos corsos, dos pierrôs, das colombinas, das “Batalhas de confetes”, da ingênua lança-perfume..... vinha a tristeza absoluta.  Afinal, a festa acabara e levara consigo a libertação que os dias de alegria proporcionavam.  A vida era dura cobrando um comportamento sem exageros.

         Em “Marcha da quarta-feira de cinzas” Carlos Lyra e Vinícius de Moraes relatam um sentimento maior do que a tristeza.  A festa acabara e o que se via pelas ruas era uma gente que – de tão desanimada – não conseguia sequer se ver porque se julgava desimportante.  No entanto, a música lembra que “É preciso cantar. Mais que nunca é preciso cantar”.  No meio daquela angústia, existiam promessas de luz que a cantoria traria de volta em outros carnavais.  O povo voltaria às ruas recebendo a recompensa.

         A quarta-feira de cinzas de agora não tem a tristeza nostálgica lembrada por Zé Rodrix, porém, há a desesperança da letra de Vinícius.

         O cidadão carioca tem um prefeito desastroso, o cidadão fluminense, um governador inominável e, como também são cidadãos brasileiros, um presidente sem noção do cargo que ocupa.  Um mandatário que posta vídeos escatológicos no Twitter e, embora convoque a luta contra o ditador Maduro, elogia um criminoso como o ladrão-assassino Stroessner, além de se pendurar em figuras questionáveis como Netanyahu e Trump.

         O momento não é de mergulhar na depressão das quartas-feiras cinzentas do passado remoto tampouco de não se perceber como no mesmo período de um passado nem tão distante assim.  A hora é de ter certeza de que amanhã será outro dia e quem inventou o pecado vai ter de inventar o perdão porque haverá tanta gente feliz nas ruas que o opressor dará um passo atrás. 

         Não queremos placas quebradas pela arrogância, milicianos espalhando a solidão, florestas destruídas ou escolas nas quais os de importância menor sejam professores e alunos.

Amanhã será outro dia sim.  Não se sabe quanto tempo tal amanhã vai demorar a chegar, mas chegará.  Nunca mais nossas quartas-feiras de cinzas serão tristes ou sem esperança. 

Amanhã será outro dia.

Apesar de vocês.