Leia

A premonição na música brasileira

         Almir Ribeiro morreu aos 22 anos em 1958 depois de gravar seis discos em 78 rotações (aqueles com uma música em cada lado) e dois LPs.  Elogiado por Vinícius de Moraes, o cantor parecia pronto para uma promissora carreira se não fosse o afogamento por volta de meio-dia na Praia de San Raphael, em Punta del Leste.  Testemunhas contaram que ele pediu socorro três vezes e afundou de vez.

         Um pouco antes de morrer, Almir Ribeiro gravou “Onde Estou?” (Hervê Cordovil e Vicente Leporace) e dizem que essa música teria selado o destino dele.  No filme “Absolutamente Certo!”, direção de Anselmo Duarte,  Almir Ribeiro interpreta a canção num cenário misterioso com fumaça branca e cercado de mulheres vestidas túnicas alvas.  A letra dizia o seguinte:

“Onde estou, meu Deus? /Onde estou, meu Deus? /Quando falo, só ouço meu eco a responder /E essa voz, que responde ao meu grito, de onde vem? /E o ruído dos meus passos abafados, de onde vem?/ E os risos cristalinos que eu não ouço, onde estão? /E o rumor de mil beijos simultâneos, pra onde foi?/ Onde estou, meu Deus? /Onde estou, meu Deus? / Será que a morte abreviou os dias meus?”

         Na versão que correu: o cantor desafiou a morte ao descrever um espírito chegando ao além sem saber que fizera a passagem. 

         Vinícius de Moraes elogiou Almir Ribeiro o que teria alavancado a carreira do jovem.  O poeta classifica a voz do intérprete como “um dos raros timbres que já me foi dado ouvir num cantor popular.”.  Vinícius recomenda disciplina e autocrítica para que Almir se torne um dos maiores baladistas da nossa música.

         Peri Ribeiro, filho de Dalva de Oliveira e Herivelto Martins, adotou o sobrenome por causa de Almir que, em pouco tempo, se transformara em moda na tevê iniciante, no rádio onipresente e nas casas noturnas.  Abelardo Figueiredo, um dos primeiros agitadores culturais, disse que Almir Ribeiro gostava de gravar músicas novas.  Por isso, não cuidou como deveria da carreira em discos.  Ao detestar as repetições na busca de aperfeiçoar a voz, o cantor deixou de lado as músicas que gravava e isso o teria apagado da memória do público. 

         A voz de Almir Ribeiro soa um pouco empostada e, talvez, não fosse adiante porque surgiria logo depois a Bossa Nova com jeito intimista de cantar.  As especulações são muitas e não se pode prever um futuro que não aconteceu. 

A cena do filme no qual Almir Ribeiro interpreta a música premonitória está no link:

 https://www.youtube.com/watch?v=7Z-lfrUTctY

Nascido em 1935, em São João da Boa Vista(SP), Almir Ribeiro teve trajetória curta na música brasileira e na vida.  A premonição em “Onde estou?” seria a explicação para a morte do cantor em 1958.  Há lendas semelhantes no teatro e no cinema.  Na música brasileira, essa talvez não seja a única, mas intriga e até assusta.